Nossa história

O Parque das Aves trabalha por um mundo melhor, onde as pessoas possam viver em harmonia com a natureza. Para isso, mantém 16 hectares de Mata Atlântica e mais de 1.400 aves, de cerca de 150 espécies, sendo mais de 50% delas vindas de apreensões (veja nossos números aqui). O Parque também participa de diversos programas de conservação.

Abaixo você conhece um pouco mais da nossa história:

UM ENCONTRO

A história do Parque das Aves começou em 1976, bem longe de Foz do Iguaçu. Anna mudou da Alemanha para a África para trabalhar como veterinária. Lá ela conheceu Dennis, um empreendedor do Zimbábue. Eles trabalharam juntos, se apaixonaram e tiveram duas filhas, Anna-Luise e Carmel.

Década de 1970

UMA PAIXÃO

O casal recebeu um filhote de papagaio-do-congo chamado Pumuckl, que se tornou um membro da família. Em seguida, outra ave da mesma espécie foi trazida para fazer companhia a Pumuckl, depois outra, e logo o quintal da família estava repleto de aves.

Saiba mais sobre o Pumuckl.

Década de 1980

UMA AVENTURA

A família se mudou para a Ilha de Man. Depois de anos de uma vida tranquila, Dr. Alan Abrey, um amigo de Dennis o convidou a abrir um parque de crocodilos em Foz do Iguaçu. Dennis replicou: "Eu gosto de aves. Iremos criar um Parque das Aves." Anna concordou e os dois embarcaram em mais uma aventura.

Início dos anos 1990

UM SONHO

Com o livro “Português em três meses” em mãos, após receber todas as licenças necessárias, eles compraram 16 hectares de floresta subtropical ao lado do Parque Nacional do Iguaçu e começaram a dar vida ao Parque das Aves, em 1º de novembro de 1993. Toda vegetação invasora foi retirada e, em seu lugar, foram plantadas centenas de árvores nativas.

1993

UM DESAFIO

O casal revezava entre a Ilha de Man e Foz do Iguaçu, cuidando das filhas e das obras do Parque, planejadas para que nenhuma árvore nativa precisasse ser derrubada. Eles gastaram todas as suas economias nas construções e graças ao esforço de diversas pessoas que se uniram à causa, o Parque ganhou forma.

Veja o projeto inicial do Parque.

1993

O COMEÇO

As primeiras aves chegaram a partir de doações ou empréstimos de zoológicos brasileiros. Eram animais confiscados que foram enviados pelo Ibama. Espécies subtropicais de todos os continentes também foram importadas.

1994

O BORBOLETÁRIO

John Leggatt, outro amigo da família Croukamp, vem para Foz do Iguaçu para ajudar na fundação do Borboletário, continuando seu trabalho no espaço até hoje.

1994

UMA REALIZAÇÃO

Em 07 de outubro de 1994, apenas 11 meses após o desembarque de Dennis e Anna no Brasil, a família Croukamp inaugurava o Parque das Aves.

1994

UM ADEUS

No ano seguinte à abertura do Parque, Dennis ficou muito doente. E dois anos depois de idealizar o Parque das Aves, ele faleceu, na Ilha de Man, aos 70 anos de idade. Hoje existe um memorial dedicado a ele em seu lugar favorito do Parque, no Viveiro Aves de Rios e Mangues.

1996

USANDO A ARTE

A artista plástica Robyn Abrey, filha do Dr. Alan Abrey, chega em Foz do Iguaçu para desenhar o mapa na entrada do Parque das Aves. Porém, seu amor pelo Parque é tão grande que em 2013 quando ela veio atualizá-lo, permaneceu no local, trabalhando em diversos outros projetos.

Saiba mais sobre Robyn Abrey.

1998

UMA EQUIPE

Anna teve que cuidar do Parque por conta própria, mas pôde contar com a ajuda de colaboradores incríveis na construção de um lugar que trabalha para a conservação de diversas espécies, sem intervir na floresta onde está instalado, encantando milhares de turistas ao ano.

Década de 2000

O RECONHECIMENTO

Saber que as aves que sofreram abusos encontram um refúgio no Parque das Aves, espécies ameaçadas de extinção têm as esperanças de sobreviver renovadas por causa de nossos esforços e visitantes podem conhecer o nosso trabalho, ficar encantados e fazer parte de tudo isso é nosso maior reconhecimento.

Década de 2010

CONSERVAÇÃO

Trabalhamos em diversos projetos de conservação, principalmente de espécies vulneráveis e ameaçadas de extinção, como a jacutinga, o papagaio-de-cara-roxa, o papagaio-de-peito-roxo, o mutum-do-sudeste, o mutum-de-alagoas e o cardeal-amarelo.

Década de 2010

FOCO NA MATA ATLÂNTICA

Durante este ano, depois de ficar sabendo do desaparecimento da ave pararu-espelho (Claravis geoffroyi), a Dra. Carmel Croukamp, diretora geral do Parque das Aves desde 2010, decidiu focar as ações do Parque na conservação de espécies da Mata Atlântica (saiba mais aqui).

2017

SUA PARTICIPAÇÃO

O Parque das Aves trabalha no resgate de aves apreendidas e fornece um ambiente acolhedor para as que não podem retornar à natureza, investe em pesquisa e na reprodução de espécies, participa de programas de conservação, além de educar crianças e capacitar professores com o dinheiro arrecadado com a venda de ingressos, o consumo nos restaurantes e vendas na loja e no quiosque.

TRABALHO

Desde sua criação, o Parque não para de crescer graças a um time de brasileiros que se dedica a continuar os sonhos de Dennis, sendo hoje o maior parque de aves da América Latina. "Mas há tanto ainda por fazer!", suspira Anna.

Muito obrigado por sua generosa contribuição!



Compartilhe
Informações
Todos os dias, das 8h30 às 17h
Consulte nossos preços.
Onde estamos
Foz do Iguaçu - PR
Fone +55 45 3529-8282